6 de jan de 2013

"Azar de quem não chorou ao som de uma canção de amor.
Que não riu dos pássaros voando por aí.
Que não se inebriou com o aroma e com as cores das flores.
Azar de quem amou pouco e com esse pouco nada soube da vida.”

 
(Caio Augusto Leite)

Nenhum comentário:

Postar um comentário